Home » Aposentados » Aposentadoria por idade saiba os documentos necessários

Aposentadoria por idade saiba os documentos necessários

20 de dezembro de 2021

Aposentadoria por idade: ver regras, cálculo e como solicitar muito bom ficar sabendo o que levar na hora de pedir sua aposentadoria

Solicitar a aposentadoria do INSS costuma ser uma tarefa que deixa muitas dúvidas. A informação sobre estes procedimentos é constantemente actualizada e no momento de se candidatar a uma pensão de velhice – uma das modalidades de pensão – é necessária uma atenção especial para que a candidatura decorra correctamente.

Regulamentos da aposentadoria por idade

A reforma da pensão exigia 65 anos para os homens e 60 anos para as mulheres para se candidatarem à pensão por velhice, além da espera período e período de contribuição de 15 anos.

O cálculo foi baseado na média dos 80% dos maiores salários de contribuição em julho de 1994, com o coeficiente de 70% mais 1% ao ano de contribuição sendo aplicado à média. Se o segurado tivesse 20 anos de contribuições, receberia 90%, por exemplo.

A partir de novembro de 2019, novos regulamentos entraram em vigor e a idade para sacar benefícios era de 62 anos para mulheres e 65 anos para homens. O período contributivo e a licença parental para as mulheres manteve-se em 15 anos, mas para os homens aumentou para 20 anos, aumentando assim o período mínimo de contribuição.

Regime de Pensão Transitória

Mas quem pagou o INSS antes da aprovação da reforma pode contar com o Regime de Pensão Transitória. Com esta regra, a idade aumenta de ano para ano em seis meses do ano, começando em 2019 com 60 anos, até 60 anos e seis meses em 2020, em 2021 para 61 anos e em 01 de janeiro de 2022 passa para 61 anos e seis meses mudados.

No regime de transição para a idade de aposentadoria, não há mudança na idade mínima para os homens que seja anterior à reforma e associada a ela, a idade mínima para os homens não foi mudou e ficou em 65.

 

Quanto ao período mínimo de contribuição exigido, a exigência é de 15 anos para as mulheres e 15 anos para os homens, e neste caso não há incremento anual incremental como existe para a idade.

Mas você tem que ter cuidado para que o regulamento transitório só se aplique àqueles que já estavam em 11 de dezembro antes da reforma da previdência. 2019.

 

Cálculo da aposentadoria de acordo com a idade

O cálculo também mudou e atualmente é a média de todas as contribuições de julho de 1994 até a data de aplicação, usando um coeficiente de 60% com 2% adicionados a cada ano, os 15 anos excedem, para mulheres e 20 anos para os homens.

 

Deve-se observar que com a regra de disposição automática, todas as menores contribuições redutoras de rendimento podem ser sacadas, desde que o segurado cumpra com as contribuições mínimas exigidas.

Por esta razão, existe também a regra milagrosa do prêmio único, que melhora o nível de benefícios para pessoas com pelo menos 15 anos de contribuição a partir de julho de 1994. Isso porque, a partir desse momento, o segurado não tem mais um salário médio de desempenho ou pode dispensá-lo. Nesse caso, ela consegue se aposentar fazendo pelo menos uma contribuição além do valor máximo com 60% dessa contribuição sendo feito com o salário máximo de contribuição.

 

Regra muito interessante porque muita gente Quem começou a contribuir nos anos 60 ou 70 e não fez boas contribuições para o INSS a partir de 1994 consegue aumentar quase quatro vezes a aposentadoria com uma única contribuição acima do limite, portanto dão em torno de R $ 1,300,00.

Nestes casos, um plano de pensões é muito importante porque permite uma análise das contribuições feitas, o período de contribuição existente antes de julho de 1994 e o período de carência cumprido, para aplicar este é o regra de disposição.

 

Antes de solicitar a aposentadoria, os segurados são aconselhados a observar uma série de critérios importantes. São eles:

 

– Análise do CNIS, documento do INSS contendo todos os extratos das contribuições previdenciárias;

 

– Comparação do CNIS com documentos e carteiras de trabalho – se o trabalho não for realizado. Caso o CNIS seja cadastrado, é importante trazer junto ao INSS documentos que comprovem a atividade. Se o segurado estiver pendente no CNIS, podem ocorrer prejuízos;

Calcule os benefícios que têm direito de prevenir possíveis erros e perdas ou mesmo que o pedido seja rejeitado;

– Avaliação de possíveis melhorias futuras através da criação de um plano de previdência;

 

– Criação dos documentos necessários;

 

– Envie o requerimento administrativo por escrito com referência a várias situações ou prováveis ​​problemas. Ajuda de um profissional.

Documentos necessários

– cartão de trabalho (todas as folhas);

– RG com foto;

– comprovante de residência;

– certidão de casamento; Livreto de contribuições;

– CTC / DTC (se hora em regime diferente ou hora em serviço público);

– PPP (para trabalhos especiais);

– Explicações, cartas do médico, para uma pessoa com deficiência.

Como eu me inscrevo?

É possível inscrever-se pelo site do INSS ou pelo app Promova MY INSS, seguindo as orientações fornecidas pela plataforma, respondendo corretamente as dúvidas e anexando os documentos solicitados de acordo com a realidade do segurado.

Em alguns casos, é necessário atualizar seu e-mail e número de telefone. Cabe lembrar que caso o solicitante esteja acompanhando o processo por e-mail, é necessário verificar cuidadosamente as possíveis atualizações que o INSS envia para o endereço eletrônico cadastrado, z) etc. O segurado recusou o pedido se tiver Avisos desconsiderados .

 

Se o segurado tiver regime militar ou horário especial de trabalho, na maioria dos casos é necessário comprovar ao órgão que esse tempo esteve a funcionar. Nos demais casos é possível solicitar o horário especial de acordo com a categoria de trabalho, que é suficiente para que o trabalho seja realizado na caderneta.

 

Dica do especialista para Aposentadoria por idade

1. Ao fazer a consulta do especialista, deve-se ressaltar que toda a consulta está baseada na Instrução Normativa nº 77 e nas portarias. Fá-lo porque o INSS segue uma ordem própria, sendo esta IN uma das mais importantes para se candidatar a pensão.

 

2. Um especialista deve organizar a petição e descrever detalhadamente o serviço, com tabelas e documentos anexados à folha de petição para solicitar o serviço. A lei não prevê a petição, mas, por questões de qualidade técnica e segurança, são utilizados mecanismos como estes para aperfeiçoar o pedido.

 

3. Toda a atenção é necessária para os indicadores CNIS. Os indicadores de status estão ao lado de cada link. Qualquer indicador pode significar que há um problema pendente que precisa ser resolvido.

4. Para estabelecer vínculo, é aconselhável, além da forma escrita, anexar a carteira de trabalho ao requerimento, que o comprova.

 

Após a solicitação, é importante:

 

– Análise da carta de concessão;

 

– Análise do procedimento administrativo;

 

– Acompanhamento do pagamento, no caso de serviço concedido.

E se der errado? O que devo fazer?

É muito comum o INSS, principalmente no planejamento da aposentadoria, fazer concessões automáticas onde a máquina avalia o pedido e concede um benefício. Nesses casos, o pedido pode ser indevidamente concedido ou mesmo rejeitado.

Nessas situações, é necessário solicitar uma revisão (em caso de erro) ou apresentar uma objeção (se o pedido for rejeitado).

Como regra, um advogado pode identificar rapidamente possíveis erros no aplicativo ao planejar uma pensão com antecedência.

Na revisão ou no recurso deve ser explicitado o motivo, explicado os motivos da revisão do recurso e ponderado pelo órgão de apelação o rumo certo, ou existe a possibilidade de se dirigir ao INSS consultores em caso de recurso. Via de regra, esse apoio verbal também deve ser prestado por um especialista da previdência social.

 

Relacionados

Deixe seu comentário

© 2022 - Renda e Dinheiro – Tudo Sobre Finanças